segunda-feira, 28 de maio de 2012

Projeto no Rio de Janeiro transforma restos de comida em adubo e energia

Transformar restos de comida em adubo e energia para aquecimento de água, com baixo custo, é a meta de uma pesquisa da Fundação Osvaldo Aranha (UniFoa), em parceria com a prefeitura de Volta Redonda, sul fluminense, o Instituto de Pós-Graduação em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ) e o governo do estado.

A partir do material orgânico descartado de um restaurante popular estadual, o coordenador do estudo Roberto Guião e alunos da engenharia ambiental da Unifoa misturam sobras de refeições com o resultado de podas e aparas dos vegetais em um processo de compostagem (decomposição de materiais orgânicos para transformá-los em adubo por meio da atuação de bactérias que também geram calor). Os resultados até o momento são animadores, de acordo com o Guião.
“O processo de compostagem tem mais de cinco mil anos. A novidade é tentar fazer o aproveitamento energético dela para aquecer a água. Já conseguimos 30 graus Celsius de ganho de água em relação à temperatura ambiente. Ainda é pouco para manter uma residência ou estabelecimento aquecido, mas já poderia poupar energia, e a pesquisa ainda está em curso. Os resultados são promissores”.
Com a técnica, o processamento dos resíduos sólidos orgânicos para fins de adubo e de energia poderá ser feito pelo próprio estabelecimento sem grandes custos, com um mínimo de emissões de metano possíveis.
O professor lembrou que os restos de alimentos representam mais de 50% do total dos resíduos orgânicos sólidos gerados diariamente no Brasil, sendo os principais responsáveis por emissões de gases de efeito estufa e pelo chorume nos aterros sanitários que contaminam o solo.
O adubo seria usado em jardins e áreas de reflorestamento. “Esse adubo orgânico evita a produção de fertilizantes que são produzidos à base de petróleo e minimiza a utilização de caminhões para a coleta de lixo. Enfim é um somatório de ganhos ambientais”, explicou o professor.
Se confirmada a viabilidade do projeto, a ideia é implantar o sistema gradativamente nos 16 restaurantes populares do estado e futuramente em outros órgãos do governo onde se produz grande quantidade de material orgânico, de acordo com a superintendente de Segurança Alimentar da Secretaria estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Cláudia Regina de Azevedo Fernandes. “Além de evitar o descarte de resíduos do solo, minimizando a erosão e transformando o lixo em adubo e energia, o projeto vai representar economia para os cofres públicos.”
Ele explica que, se os resultados forem positivos, a metodologia poderá ser implementada também em presídios, escolas e em locais com fornecimento de refeições diárias em grandes quantidades.
De julho a dezembro, o pesquisador dará sequência à segunda etapa da pesquisa na Universidade de Dresden, na Alemanha, para buscar a viabilidade da utilização desse tipo de compostagem caseira na geração de biogás. “Se esse material orgânico, depois de gerar calor, for colocado em um outro equipamento, sem oxigênio, ele começa a gerar o biogás rico em metano, ou seja, um duplo aproveitamento energético. Dessa sobra ainda será possível produzir adubo”, explicou o engenheiro.
 Fonte: Revista Exame

Reconhecimento do trabalho

Quem acompanha nosso blog, conhece meu trabalho para divulgar as ações sustentáveis que o Japão tem para nos ensinar, principalmente nas questões sobre o lixo.

E é um grande prazer, contatar que meu trabalho está sendo reconhecido, através da Prefeitura de Mogi das Cruzes, que recentemente vem adotando algumas práticas citadas no blog.
No ano passado foi instalado o primeiro Ecoponto da cidade, um local onde a população pode levar seu lixo que não é recolhido pelos caminhões, como: móveis, lixo eletrônico, etc.

Prefeito Marco Bertaiolli na inauguração do ecoponto

Recentemente, a prefeitura assinou um convênio com a JICA (Agência de Cooperação Internacional do Japão), através da Prefeitura da cidade de Toyama, cidade irmã de Mogi das Cruzes, para promover um intercâmbio de informações e técnicas de reciclagem, coleta seletiva e destino do lixo. O convênio visa também aumentar a taxa de reciclagem na cidade, que ainda é insignificante.
Outro acordo firmado, foi entre a Sabesp e outras cidades da região, visando a instalação de uma usina de incineração de lixo, pondo por fim a ideia de instalação de um aterro sanitário , que  durante anos a Prefeitura e a população lutam para evitar que projeto venha a ser aprovado.



E agora na semana passada a Prefeitura lançou uma cartilha para ser distribuída à população, com informações sobre como separar o lixo, e os dias e horários da coleta.
Parabéns a Prefeitura de Mogi das Cruzes, que dá um grande passo  para melhorar a coleta e esclarecer a forma correta de separa o lixo.

Cartilhas sobre a coleta seletiva de lixo


Todas essas ações são praticadas no Japão há muito tempo, e graças a cooperação da população que cumpre as normas de separação estabelecidas pelo governo, o país é referência mundial em reciclagem e destino do lixo.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Até quando o povo irá sofrer com as greves

Sempre fui um defensor do transporte publico como forma de combater os congestionamentos, principalmente o Metrô e os trens da CPTM, que mesmo deixando muito a desejar, é a melhor opção de mobilidade urbana dentro da área metropolitana de São Paulo.
Sou usuário dos trens da CPTM, e sinto-me satisfeito com os serviços prestados, os trens estão sempre no horário e apesar de estarem sempre lotados, é a melhor opção para quem usa o trecho leste.
Mas o que ocorreu nesta quarta-feira (23/05), quando o Metrô e duas linhas, a 11 e a 12 da CPTM, entraram em greve, foi um verdadeiro caos. Centenas de pessoas permaneceram em frente às estações que estavam com os portões fechados, o transito ao redor estava congestionado, pontos de ônibus cheios e os coletivos não davam conta do número de passageiros causando tumulto e revolta.

foi uma verdadeira aventura, conseguir embarcar nos ônibus

Há uma semana, todos já sabiam que a greve estava programada, mas ninguém tomou nenhuma providência, e o caos se instalou. Não havia ônibus extras, nem negociações, sobrou tudo para o povo mais uma vez.
Permanecemos por mais de 40 minutos esperando um ônibus, que estava completamente lotado, e com o aumento de carros nas ruas, o transito ficou congestionado, e um trecho que leva 30 minutos, demoramos 1hora e 15, numa verdadeira aventura para chegar ao trabalho.

Diariamente uma  multidão utiliza o Metrô

Concordo com as reinvindicações trabalhistas por parte dos funcionários, mas prejudicar os usuários torna-se um ato abusivo, prejudicando única e exclusivamente a população que depende do serviço que mesmo sendo ineficiente, faz muita falta, deixando milhões de pessoas a pé, sem uma opção para se locomover para o trabalho.
Todo ano é a mesma coisa, sofremos com essas paralisações, com transtornos e humilhações sem poder fazer nada para mudar a situação. Enquanto governantes, empresários e sindicalistas, estão confortavelmente em suas salas, discutindo aumentos salariais, a população sofre, sem ter como se locomover, sem ter hora pra chegar em casa.
Os metroviários com certeza terão suas reinvindicações atendidas, e a população como fica? Será que terá melhoria no serviço? Obviamente que não, a situação pra o usuário continuará a mesma, com atrasos, superlotação e outros problemas do deficiente transporte público. É por isso que vamos continuar por muito tempo convivendo com grandes congestionamentos por excesso de veículos, enquanto não houver melhorias no sistema de transporte público, cada vez mais motoristas estarão nas ruas.


terça-feira, 22 de maio de 2012

Japão desenvolve material que absorve o césio

Surpreendente é o poder de reação dos japoneses frente às adversidades. Após o terremoto e tsunami em Março de 2011, várias cidades atingidas estão sendo reconstruídas em ritmo acelerado.

O maior problema, seria a descontaminação do  Césio - material radioativo proveniente da explosão da usina nuclear de Fukushima, que escoou para a agua e o solo.
Mas os japoneses, novamente mostram sua capacidade para resolver problemas:
Uma equipe de cientistas japoneses anuncia ter desenvolvido um novo tipo de material de construção capaz de filtrar a maior parte do césio radioativo de água contaminada.

regiões próximas a Fukushima, sofrem com a contaminação pelo Césio

A equipe da Faculdade de Engenharia, do campus da Universidade de Kinki em Hiroshima, aplicou um método que emprega a mesma argamassa utilizada na arquitetura japonesa tradicional.
Conhecido como shikkui, o material é uma espécie de gesso, utilizado como revestimento de tetos e paredes. Normalmente é uma mistura de cal com areia, mas a equipe de cientistas usou pó de zeólito, em vez de areia.

Zeólito é um mineral que possui estrutura porosa, e formam-se em locais onde rochas e cinzas vulcânicas reagem com água alcalina, sendo um material altamente permeável.
Zeólito
Os zeólitos são conhecidos como peneiras moleculares, referindo-se à propriedade particular destes materiais que consiste na capacidade de reter seletivamente moléculas por um processo de exclusão.

Pesquisadores afirmam que, em testes de filtragem de césio dissolvido em água, o material foi capaz de absorver mais de 99% do césio. Segundo a equipe, o material pode ser usado para o armazenamento com segurança de destroços e solo contaminado com radiação por prevenir o vazamento de substâncias radioativas.
Outra característica do novo material, é que é proveniente de fontes renováveis, pois o shikkui pode ser reaproveitado por diversas vezes, e possui nivieis bem baixos de emissão de carbono na sua produção e também gera baixo consumo de energia comparado a outros materiais semelhantes.

 Fonte: NHK WORLD

domingo, 20 de maio de 2012

Descubra seus talentos


Numa determinada reunião da Igreja que eu freqüentava no Japão, nosso líder de grupo e grande amigo, Seiji Ishida, ministrava uma aula em que o tema era desenvolver seus talentos.

Ele perguntava para cada um dos presentes qual era o seu talento. Uma pessoa falava que seu talento era desenhar, o outro era tocar violão, outra era cozinhar. Aí ele perguntou para mim:

― Akira, qual seu talento? – fiquei em silêncio por alguns segundos, e respondi:

― Não tenho nenhum talento, não possuo nenhuma habilidade que se destaque.

E ele me respondeu, dizendo:

― Todos possuímos algum talento, basta descobri-lo e desenvolver esse talento; um dia você vai perceber que existe dentro de ti um grande talento.

Fiquei com aquilo que ele me disse na cabeça e comecei a busca pelo meu talento. Não foi uma tarefa fácil, pois descobrir aquilo que se faz bem costuma ser fruto de um longo processo de autoconhecimento, de uma profunda investigação nas atitudes e nos gostos individuais.

Talento pode ser definido como um conjunto de aptidões, naturais ou adquiridas, que condicionam o êxito em determinada atividade.

Desde jovem, Bill Gates já demonstrava grande talento

Uma outra boa definição de talento está no livro “A Era dos Talentos”, de Mauro Press: “Talento é aquilo que uma pessoa tem habilidade e facilidade para fazer e faz com gosto”.

Geralmente, as pessoas costumam utilizar o termo “talento”, quando se referem à pessoas com um desempenho fabuloso, mas podemos aplicar o termo à simples habilidade de fazer algo melhor que a maioria dos outros, como: cantar, tocar um instrumento, jogar futebol, dirigir uma empresa.

Essa habilidade geralmente aparece cedo, e é inato: a pessoa nasce com isso, mas há casos que leva tempo para se descobrir esse talento.

Um bom exemplo disso é o de David Ogilvy, que é considerado o maior publicitário do século 20. Ele foi expulso de Oxford, fez serviços pesados na cozinha de um hotel em Paris, vendeu fogões na Escócia e trabalhou na lavoura na Pensilvânia, entre outras ocupações modestas que consumiram os primeiros 17 anos de sua carreira.
David  Ogilvy

Seria muito difícil adivinhar que ele se tornaria anos mais tarde, uma lenda do marketing, desenvolvendo campanhas para a Rolls Roice, Schweppes, Shell, além de campanhas para desenvolver o turismo nos Estados Unidos, Inglaterra e Porto Rico.

O sistema educacional japonês é um grande incentivador na descoberta e desenvolvimento de talentos nas crianças.

Desde o ensino fundamental a criança é incentivada a desenvolver outras atividades extracurriculares, como: esporte, música, dança desenho, teatro, idiomas, entre outros, até escolher uma atividade que mais lhe agrade, trabalhando e desenvolvendo essa aptidão por certa atividade até descobrir seu talento.

Voltando para a busca de meu talento, após começar com meu blog, tenho recebido vários comentários, e o primeiro deles foi de meu amigo Edmilson Santander, que logo após meu primeiro post, comentou: “Não sabia que você tinha talento para escrever”.

Instintivamente descobri certa aptidão para escrever, e estou investindo nisso, quem sabe eu possa me tornar talentoso.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Tecnologia japonesa utiliza scanner em supermercados


A Toshiba apresentou um sistema que promete aposentar o código de barras e agilizar a operação nas caixas de supermercado. Ao invés da leitura óptica, os produtos são identificados diretamente por uma câmera.

“Frutas e legumes geralmente não têm código de barras, já que são postos à venda enquanto ainda estão frescos. Então esses itens não podem ser lidos no caixa pelos códigos de barra, o que significa que o funcionário precisa inserir dados para gravá-los. Eventualmente, o funcionário pode não reconhecer alguns itens, o que pode causar atrasos. Estamos desenvolvendo este novo scanner para resolver esse problema”, disse Keiichi Hasegawa, da Toshiba Tec.

A máquina reconhece a diferença entre o produto e itens do ambiente, fazendo com que a operação seja rápida. No vídeo, é possível ver que as modelos estão usando relógio de pulso, e as caixas registradoras não apresentam, aparentemente, diferença em relação ao que existe na prática.


Na demonstração, o sistema foi capaz de reconhecer três tipos diferentes de maçã. Os objetos são previamente cadastrados para montar um banco de imagens.

“Para que qualquer pessoa possa usar o scanner, ele deve ser capaz de ler itens consistentemente, seja à distância ou em movimento. Nossa tarefa principal de agora em diante é melhorar o scanner para que ele faça isso”, completou Hasegawa.

 Fonte: Made in Japan

terça-feira, 15 de maio de 2012

Jovens estão dirigindo menos

O sonho de qualquer jovem brasileiro ao completar 18 anos, é tirar a carteira de habilitação e adquirir um carro, tornar-se independente e se deslocar para qualquer lugar livremente.

Mas toda essa ação tem causado grandes preocupações no meio urbano. O aumento constate da frota de veículos nas grandes cidades, tornando o trânsito cada vez mais complicado, e também aumentando o número de acidentes envolvendo jovens motoristas.
Segundo dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito),no ano de 2011, motoristas jovens até 29 anos se envolveram 81% a mais em acidentes com vitimas que os motoristas mais velhos.

Em países da Europa e no Japão, o número de acidentes envolvendo jovens é bem menor, pois usam o carro em menor proporção, dando preferência a outras formas de deslocamento, como: transporte público e o uso cada vez maior das bicicletas.

Jovens americanos estão dirigindo cada vez menos
Por gerações, o carro foi um símbolo de independência para os jovens americanos. Mas não hoje. Uma nova visão do transporte urbano marca o comportamento de adolescentes e adultos até 30 anos: eles dirigem menos, requisitam menos carteiras de habilitação e optam cada vez mais por meios alternativos, como bicicletas e até caminhadas.

A tendência foi confirmada em relatório da Frontier Group, divulgado em abril deste ano. Segundo a pesquisa, o número médio de milhas percorridas de carro por jovens de 16 a 34 anos diminuiu 23% entre 2001 e 2009, de 10.300 milhas por pessoa para 7.900. Em 2010, o número de pessoas na mesma faixa etária sem carteira de motorista aumentou de 21% para 26%.

O transporte de menor impacto ambiental também cresceu - o uso de bicicleta entre os jovens saltou 24% de 2001 a 2009. Eles caminharam até seus destinos 16% mais vezes, enquanto as milhas percorridas por ônibus aumentaram 40% no mesmo período.

Jovens americanos estão aderindo a bicicleta como meio de transporte


Parte da razão para esta mudança é financeira e está ligada ao clima econômico no país. O relatório calcula o custo médio de possuir e operar um carro em US$ 8.700 por ano.

Na esteira da crise, os jovens decidiram que preferem gastar seu dinheiro em outras coisas. Os entrevistados disseram ainda que o custo elevado de gasolina, estacionamento e manutenção ajudaram na decisão.

Mas o dinheiro não explica tudo. É uma mudança de estilo de vida: essa geração prefere morar em centros urbanos onde as lojas, serviços e entretenimento estão em curto alcance - as comunidade "caminháveis", segundo o relatório. Antes parte de um rito de passagem, hoje o carro é um fardo que os jovens dos Estados Unidos não querem mais carregar. 

.


segunda-feira, 14 de maio de 2012

A destinação do Lixo ainda é inadequaqda

Apesar de a Política Nacional de Resíduos Sólidos estar em vigor desde o final de 2010, ela ainda não está produzindo efeitos práticos na destinação do lixo gerado no País. Essa é a principal conclusão do levantamento anual da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).


Em 2011, das 55,5 milhões de toneladas de resíduos coletadas no ano, 58,06% (32,2 milhões) foram destinadas corretamente - em aterros sanitários. O restante (23,3 milhões) segue indo para lixões e aterros controlados, que não têm tratamento de chorume ou controle dos gases de efeito estufa produzidos em sua decomposição.

Em relação a 2010, houve uma melhora de meio ponto porcentual na destinação correta dos resíduos, mas, como os brasileiros aumentaram sua geração de lixo em 1,8% em relação ao ano anterior, na prática, 2011 observou um aumento na quantidade de resíduos jogados em lixões e afins. A geração per capita média do País foi de 381,6 quilos por ano, 0,8% superior ao do ano anterior.
Dos 5.565 municípios, 60,5% deram destino inadequado a mais de 74 mil toneladas de resíduos por dia. Em todo o País, mais de 6,4 milhões de toneladas sequer foram coletadas no ano, indo parar em terrenos baldios, córregos etc. Os dados, fazem parte da última edição do Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil.

Meta até 2014
 A produção de resíduos subiu menos que entre 2009 e 2010, quando o salto foi de 6,8%. Mas ela continua crescendo. Foi o dobro do quanto cresceu a população no mesmo período. A expectativa era já ver algum reflexo da política. Mas, se continuar neste ritmo, a meta  acabar com os lixões até 2014 não será atingida.


A meta a que  se refere é uma das estabelecidas pela lei, que também define que, do material coletado, somente os rejeitos devem ir para os aterros - o que exclui tudo o que possa ser reaproveitado como, por exemplo, com compostagem, e reciclado. Mas nesse quesito também não houve muito avanço. Dentre os municípios brasileiros, 58,6% disseram ter coleta seletiva - só 1% a mais que em 2010.
O problema é que as soluções para a questão do lixo demandam muito tempo. Para criar um aterro sanitário é preciso de espaço, de licenciamento ambiental, que leva, em média, três anos. E mesmo sendo criados, se não mexer na quantidade de geração (de resíduos), a vida útil do aterro cai.

Esse quadro só vai mudar quando aproveitamento e reciclagem estiveram funcionando. Cabe também a produtores e comerciantes cuidar do descarte de seus produtos e embalagens. "Onde está o modelo disso? É preciso implementar que os devidos responsáveis assumam suas atribuições."
Um dos gargalos ainda é a falta de investimento. Segundo o panorama, em 2011, a média mensal dos gastos dos municípios brasileiros com serviços de limpeza urbana foi de R$ 10,37 por habitante por mês - 4% maior na comparação com 2010.

Seria preciso no mínimo o dobro para resolver o déficit na coleta e na destinação, considerando que metade dos resíduos tem destino inadequado (somando também o que não é coletado).
"Não dá mais para considerar que é possível resolver a custo zero, como acontecia com os lixões. E isso envolve também cobrar o serviço da população. Uma taxa básica, que aumente, por exemplo, se a pessoa não separa os recicláveis, mas diminua se ela o fizer”.

Um bom exemplo de preocupação com o tema, é a cidade de Mogi das Cruzes – SP, que firmou um acordo com os japoneses, através da JICA(Agência de Cooperação Internacional do Japão), que são referência mundial na questão do destino do lixo, para promover um projeto de reciclagem e destinação correta do lixo. O acordo irá proporcionar uma valiosa troca de informações entre técnicos japoneses e mogianos, incluindo a capacitação e metodologias e elaboração de planejamento de educação ambiental.


sábado, 12 de maio de 2012

Manual de separação do Lixo

Folheto distribuído aos moradores da cidade de Neyagawa na província de Osaka, com instruções em português, sobre como separar o lixo corretamente.



LIXO

●Vamos separar e jogar dentro de sacos transparentes.

Na cidade de Neyagawa, os lixos são separados em 9 tipos,
Queimáveis, Não queimáveis, Pilhas e isqueiros, Latas e gafarras de vidros, Garrafas pet, Embalagens e recipientes plásticos, lixos emergenciais, Lâmpadas fluorescentes, Recipientes de spray.

Lixos residenciais

·         Pergunte aos vizinhos, pois, dependendo da região, datas (2 vezes/semana) e locais estão definidos.

·         Jogue os lixos queimáveis dentro de sacos transparentes nas datas definidas até 9 horas da manhã.

·         Os lixos não queimáveis, emergenciais, classificação de lixos que não podem ser recolhidos e suas datas, confirme através do calendário do Centro de Limpeza da cidade de Neyagawa.

·         Vamos colaborar na redução e reciclagem através da separação correta do lixo, obedecendo às regras.

Consulte
PrefeituraDept. de Limpeza
(das 8:30 às 17:00, de segunda a sexta)
072-820-7400
Centro de Limpeza
072-820-7400



Tipos de Lixos e Maneira Correta de Jogar

Queimável (2 vezas/semana

Onde
estação de coleta
O que


Atenção

·         Enxugar e amarrar bem os sacos que contêm lixos de cozinha.

·         Edredons, galhos e folhas, (até 45 litros ou 2 sacos de poliéster), caixas de papelão ou amarrar bem pequeno ou jogar dentro de sacos de lixo.

·         Jornais, caixas de papelão, revistas, roupas velhas, embalagens tetra pack de leite e bandejas de isopor são máterias primas de reciclagem. Junte e leve a empresas autorizadas ou centros de reciclagens.

Não queimáveis (1 vez a cada 4 semanas

Onde
estação de coleta
O que


Atenção

·         Pilhas e isqueiros devem ser separados dos lixos não queimáveis e colocar separadamente em outro saco de lixo transparente.

·         Lâmpadas, lâminas de barbear e espelhos devem ser embalados em papéis e escrever kiken (perigoso).

·         Ar condicionado, TV, geladeira, ventilador, etc , eletrodomésticos específicos estão definidos pela “Lei de Reciclagem dos Eletrodomésticos”, portanto solicite à loja onde foi comprado ou onde está adquirindo novo produto para retirar o velho.



Latas e garrafas (1 vez cada 2 semanas

Onde
estação de coleta
O que


Atenção

·         Lave levemente as garrafas e latas.

·         Retire as tampas das garrafas.

Recicle levando para as lojas de vendas as garrafas retornáveis (saquê, shoyu, cervejas etc).
Frascos de maquiagem, vidros temperados devem ser jogados como não queimáveis.

Garrafas pet (1 vez cada 4 semanas

Onde
estação de coleta
O que

●Garrafas pet que podem ser jogados:
·         Bebidas gaseificadas, e sucos de frutas
·         Alcoólicos saquês, hon-mirin (tempero) etc
·         Shoyu usados para shoyu

Atenção

·         Tampa de plástico joga-se no “plástico” e o de metal no “não queimável”.

·         Exceto as de shoyu, garrafas de temperos molhos em geral, óleos e as de não comestíveis como detergentes, shampoo, frascos de maquiagem, remédios são plásticos.

Atenção) São coletadas apenas as garrafas pet com a marca



Maneira correta para jogar “pet” (obedeça sempre




Plásticos (1 vez/semana

Onde
estação de coleta
O que


Bandejas para alimentos frescos bandejas de bentôs de lojas de conveniências. Plásticos de embalagens de “cup nuddle” macarrão instantâneo em copo. Rótulos e tampas das garrafas “pet”.



Plásticos identificados com a marca

Atenção

·         Lave levemente.
·         Procure não deixar restos ou resíduos nos frascos de maioneses e catchups.

Emergência (Lixos grandesde mudanças: Lixos pagos

Onde
estação de coleta especial (reservaspagos
Centro de Limpeza (Pagos)
O que


Aquecedor a querosene, fogão a gás, aquecedor de água, armários, mesas, etc.

Atenção

·         Solicite a coleta de eletrodomésticos como ar condicionado, TV, geladeira e máquina de lavar, e computadores nas lojas de venda. Caso não haja loja de venda que faça a retirada, deve adquirir o vale-reciclagem com antecedência nos Correios e solicitar ao centro de coleta como lixo de emergência.

·         Como podem causar incêndios, isolem os fios e retirem sempre as pilhas.

·         Querosenes devem sempre ser retirados.

·         Devem estar presentes na coleta.

·         Não são coletados dentro das residências.

Coleta (reservas)

exclusivo p/reserva
072-8685374
horário das 9:00 às 17:00 (de segunda a sexta)
É possível coletas nos feriados exceto sábados e domingos.
Consulte
seção de Limpeza
072-820-7400



Lixos coletados

Horário das 9:00 às 16:00 (das segundas ás sextas))
Possível coletas nos feriados exceto sábados e domingos
Tarifa
 13ienes/kg

·         Na recepção de lixo levar Gaijin touroku, cartão de seguro saúde ou carteira de habilitação

·         Não é possível aceitação de lixos que exceder volume acima de caminhão de 2 toneladas。 

·         Não podem aceitar lixos via procuração como de empresa de mudançasSempre estar presente e comprovante de ser morador da cidade

Consulte
PrefeituraDept. de Limpeza
072-821-4039



Latas de spraylâmpadas fluorescentes

Onde
Cesto específico (Estão nos prédios públicos)
O que

Atenção

·         Devem ser somente lixos residênciais.

·         Não são coletados em estações de coleta.

·         Latas spray, bombas de gás (em forma de cartuchos) devem sempre utilizar até o fim, não colocar em sacos e jogar direto dentro dos cestos.
·         As lâmpadas não devem ser quebradas; devem ser colocadas nas embalagens em que vieram na hora da compra e então colocar dentro do cesto.


·         Podem ser jogados nos cestos a qualquer hora

O que pode ser resgatado pelas lojas de vendas ou empresas especializadas

·         Perigosos: Baterias, tiner, combustíveis, óleos, tintas, bombas de gás, produtos químicos

·         Difíceis de reciclar: Motos, pneus, piano, extintores

·         Materiais de construção: Materiais resultantes de reformas (telhas, tapetes de palha [tatami], blocos etc)

·         Baterias especiais usadas para celulares e câmeras: baterias [pilhas] palitos, em forma de botão e níquel.

Fonte: Prefeitura de Newagawa – Divisão de Serviços Públicos