Mostrando postagens com marcador tecnologia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador tecnologia. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Japão lança aplicativo que permite acesso à Wi-Fi gratuito para turistas


O que seria dos smartphones sem os aplicativos? Ferramenta indispensável, seja na vida social, trabalho ou lazer. E para quem viaja pelo mundo, um dos maiores pesadelos é sem dúvida, ficar desconectado.
Mas esse tormento está prestes a acabar, pelo menos no Japão! Um aplicativo gratuito, lançado recentemente no país, vai facilitar a vida dos turistas.
Japan Connect-Free Wi-Fi foi lançado para promover a experiência de utilizar internet gratuita e de qualidade enquanto se faz compras em lojas de conveniência no país. Com alcance de 40 mil espaços, incluindo marcas como Family Mart, Lawson e 7-Eleven.
O aplicativo também permite ao usuário o acesso ao wi-fi gratuito em mais de 130 mil pontos do Japão incluindo os aeroportos de Narita e Kansai, estações de metrô e em diversos pontos.
Pelo Mundo
De acordo com um levantamento divulgado pela Flurry, – uma empresa de análise de aplicativos do Yahoo! – de 2014 para 2015, o número de dispositivos inteligentes cresceu de 1,3 bilhão para 1,8 bilhão, o que representa um aumento de 38% de um ano para o outro.
O número de usuários que utilizam aplicativos entre uma vez e 16 vezes por dia, cresceu de 784 milhões para 985 milhões no mesmo período, um aumento de 25%. Já o número de usuários muito ativos, que usam aplicativos entre 16 e 60 vezes por dia, cresceu ainda mais: de 440 milhões para 590 milhões (aumento de 34%).
Clique aqui para conhecer e baixar o aplicativo.
Fontes: OGlobo / Panrotas

quarta-feira, 25 de março de 2015

Carro Transparente é desenvolvido em Universidade do Japão


O carro transparente está mais próximo do que se imagina. Os pesquisadores Susumu Tachi, Masahiko Inami e Yuji Uema, da Universidade de Keio, no Japão, apresentaram um inovador sistema de captação e projeção de imagens capaz de fazer o interior do carro ficar "invisível" aos olhos do motorista.

Câmeras estereoscópicas instaladas no lado de fora do carro captam o ambiente ao redor do automóvel. Os dados são processados por um computador que retransmite as imagens, em tempo real, a um projetor preso no escosto do banco do motorista. Daí, por meio de um jogo de espelhos, as imagens são refletidas em telas com tecnologia de projeção retro-refletiva, ou RPT na sigla em ingês.


Maleáveis o suficiente para servir como capas nos bancos, painel colunas do teto e laterais de portas, as telas são cobertas por milhares de contas de vidro com 50 micrômetros cada. Essas superfícies de espelhos diminutos (um micrômetro equivale à milésima parte do milímetro) conseguem ter um brilho tão intenso que as imagens podem ser vistas mesmo durante o dia, sob sol forte.


Uma câmera capta a imagem do rapaz agachado atrás do carro. Coberto pela capa especial, o banco traseiro vira um telão 
Além disso, os pesquisadores japoneses afirmam que o sistema proporciona um efeito "autoestereoscópico 3D" sem que o motorista precise usar óculos especiais. E o jogo de espelhos permite que se veja o que está atrás do carro mesmo que haja alguém sentado no banco de traseiro.

A invenção vai muitos pontos adiante dos video-retrovisores de LCD que começarão a ser usados este ano em modelos da Cadillac e da Nissan.



Há anos, dispositivos de RPT vêm sendo pesquisados para uso militar, como camuflagem óptica. No fim de 2014, a Jaguar Land Rover mostrou um protótipo de automóvel com sistema idêntico, para tornar as colunas da capota transparentes e acabar com pontos cegos.


Além de ser usado para reduzir acidentes de trânsito, o sistema RPT poderia criar "janelas virtuais" em aviões, embarcações e edifícios. A aplicação é ilimitada. Um video mostra imagens reais do dispositivo desenvolvido pelos professores da Universidade de Keio.


Fonte:O Globo

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Japoneses desenvolvem aparelhos mais inteligentes, falam entre eles e estudam nossos hábitos

Até aonde você imagina que uma pessoa pode interagir com seus aparelhos de eletrodomésticos em casa? Grandes mudanças estão ocorrendo neste mercado tão competitivo e os consumidores não vão querer perder nada disso.



A tecnologia de sensores melhorou drasticamente a funcionalidade de eletrodomésticos nos últimos anos. Agora, esses aparelhos estão se tornando mais inteligentes, mais comunicativo e mais conveniente, diz uma reportagem do jornal Nikkei.

Um sistema de gestão de energia doméstica criado pela Toshiba Corp 's permite os dispositivos acender luzes, ar condicionados, aquecedores de água elétricos e outros dispositivos que podem ser acessados remotamente através de seus smartphones ou tablets, enquanto as pessoas estão longe de casa.

Isso é apenas o começo. Toshiba está trabalhando em um sistema que recolhe dados sobre consumo de energia elétrica dos usuários, analisando os padrões de vida das pessoas e permitindo à empresa oferecer serviços adaptados às suas necessidades.

"Sabemos o que você está pensando"

A empresa planeja lançar o sistema em um condomínio construído pela Mitsui Fudosan  no próximo ano. Ele será capaz de determinar se os moradores estão dispostos a comer fora, analisando seu consumo de eletricidade, enviando-os cupons de restaurante e outras informações úteis.



Enquanto isso, a Sharp está equipando os aparelhos com o seu Cocoro Engine, um dispositivo de inteligência artificial que permite que os aparelhos pensem por si mesmos.

"Por que você não tenta usar o secador?", perguntou uma máquina de lavar roupa Cocoro em um vídeo promocional, fazendo o público presente rir em uma conferência de imprensa, realizada no dia 09 de julho. O Cocoro Engine usa os dados do histórico de funcionamento da máquina e o sensor para informar seu status, verbalmente ou através de luzes que piscam.

O Cocoro Engine é projetado para interagir com os usuários, que podem não estar ciente das características avançadas dos produtos Sharp. A empresa acredita que a tecnologia interativa irá ajudar os clientes a decidir as funções não utilizadas, aumentando o valor de seus produtos. Ela planeja incorporar a tecnologia em cinco aparelhos, incluindo refrigeradores, ar condicionado e máquinas de lavar roupas.

Sharp também está trabalhando para que o Cocoro Engine consiga interagir com servidores virtuais. Desta forma, esperando melhorar as interações com os clientes, armazenando os dados recolhidos a partir de muitos gadgets.

Um interessante dispositivo é o Cocorobó do aspirador de pó robótico, que saiu no ano passado. Ele pode falar com outros aparelhos domésticos, controlando aparelhos de ar condicionado e outros dispositivos através de um smartphone.

Outras empresas também estão trabalhando para incorporar a computação em servidores virtuais em seus produtos. Panasonic Corp está trabalhando com a Fujitsu Ltd., utilizando a computação em nuvem da Fujitsu para analisar os dados coletados por meio de aparelhos que são controlados por smartphones.

O governo está tornando mais fácil para adicionar funções de controle remoto para eletrodomésticos através da revisão da lei de segurança elétrica do aparelho. As alterações entrarão em vigor em janeiro.

Aparelhos mais inteligentes para residências irão melhorar a qualidade de vida das pessoas. A concorrência entre os fabricantes irá assegurar os benefícios de dispositivos inteligentes para procurar cada vez mais a evolução de todos os aparelhos comum em uma casa.

Fonte: Jornal Nikkey



segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Governo do Japão consulta especialistas em economia sobre aumento de imposto



Ao contrário do Brasil, onde as medidas econômicas são sempre tomadas única e exclusivamente por sua equipe econômica governamental, o governo do Japão começou a ouvir a opinião de especialistas na área de economia a respeito de se deve seguir adiante com o aumento do imposto sobre consumo agendado para entrar em vigor em abril do ano que vem.


Os ministros das Finanças, Taro Aso, e da Revitalização Econômica, Akira Amari, irão encontrar-se ao longo de seis dias a partir desta segunda-feira (26/08) com um total de 60 pessoas. Estão incluídos neste grupo acadêmicos, representantes dos setores de negócios, de trabalhadores e de grupos de defesa do consumidor.



As opiniões dos especialistas, incluindo se eles são a favor ou contra o aumento, além de propostas de medidas econômicas e reforma do sistema tributário, serão sistematizadas em um relatório e submetidas ao primeiro-ministro Shinzo Abe no começo de setembro.



Abe deve chegar a uma decisão final no começo de outubro após levar em consideração este relatório além de indicadores econômicos tais como a variação do PIB que será publicada no dia 9 de setembro.


Já foi promulgada legislação que prevê a elevação da alíquota do imposto de consumo dos atuais 5% para 8% a partir de abril. No entanto, uma condição para a execução do plano é haver uma melhoria da situação econômica do país. Os encontros com especialistas têm o objetivo de avaliar a situação econômica e as perspectivas futuras. Não se trata simplesmente de optar por aumentar ou não o imposto de consumo.

Tanto uma opção como a outra trarão grandes riscos e, assim, o governo decidiu ouvir várias opiniões.

Um dos quadros possíveis, por exemplo, é ocorrer uma alta dos preços em consequência da política econômica do primeiro-ministro, Shinzo Abe - a chamada Abenomics -, sem uma elevação dos salários. Neste caso, o aumento do imposto de consumo para 8% colocaria um grande fardo nos ombros dos consumidores. Se a população apertar os cintos, poderá haver uma retração econômica.


Já no caso de não ser aumentado o imposto de consumo, os mercados financeiros poderão interpretar a medida como sinal de que o governo não tem intenção de honrar a dívida pública. A dívida, hoje em torno de 10 trilhões de dólares, equivale aproximadamente ao dobro do Produto Interno Bruto do Japão. Tal situação levaria a uma venda em massa de títulos públicos e a uma elevação acentuada das taxas de juros. Outro resultado seria um aumento dos juros de empréstimos imobiliários. Os juros dos bancos também subiriam, dificultando a tomada de empréstimos pelas empresas. Um importante objetivo das reuniões com especialistas é definir opções para reduzir estes riscos.

Se o governo aumentar o imposto de consumo, será importante dispor de meios para tomar medidas econômicas arrojadas com vistas a não prejudicar a economia.


Se a alíquota do imposto não for aumentada em abril, um plano alternativo em estudo - em lugar de um simples adiamento da medida - é uma elevação do imposto em ritmo anual de 1%. A atual legislação prevê o aumento da alíquota em duas etapas até a sua elevação para 10% em 2015. Também foi cogitada a possibilidade de evitar a medida no ano que vem e realizar uma única elevação, para 10%, em outubro de 2015.



Muitos pontos precisam ser debatidos - por exemplo, a eficácia das propostas. Outro ponto central das discussões será a necessidade de intensificar o afrouxamento monetário para evitar uma acentuada elevação das taxas de juros na eventualidade de não haver o aumento do imposto de consumo.



Fonte: NHK WORLD

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Japão apresenta casas ecológicas, econômicas e saudáveis em feira


Cápsulas de oxigênio, banheiras de microbolhas, geradores elétricos ecológicos e automação residencial serão as marcas das casas do futuro, segundo a feira 'Smart House 2013' que começou nesta sexta-feira em Tóquio.


O evento, que durante três dias mostra propostas de cerca de 300 empresas relacionadas com o design, materiais e tecnologias para o lar, mostra, além disso, as últimas tendências em sistemas de gestão energética sustentáveis.

Neste sentido, a multinacional japonesa Honda levou à feira seu conceito de Smart Home System, com o qual pretende dotar de uma total autonomia as residências através da instalação de painéis solares e geradores ecológicos CHP (Combinação de Calor e Energia, por sua sigla em inglês).


Este sistema, chamado de EcoWill, é capaz de gerar eletricidade e calor ao mesmo tempo, reduzindo o consumo anual em cerca de 50 mil ienes (US$ 518) e emite à atmosfera 38% menos de C02, segundo detalhou à Agência Efe Masato Ara, diretor da divisão de promoção energética da companhia.

'É econômico e ecológico. Uma fonte de energia em si mesmo', acrescentou Ara, que desvelou um aumento substancial das vendas destes sistemas no Japão após o acidente nuclear em Fukushima de 2011, o que provocou a paralisação das centrais atômicas do país e fortes restrições energéticas nos últimos dois anos.

Neste sentido, a feira aposta também em casas dotadas de painéis de automação e aplicações para dispositivos móveis criados para controlar, inclusive desde fora de casa, o consumo pormenorizado de cada um de seus espaços

Pelo visto na feira, realizada no futurista espaço de conveções Tokyo Big Sight, os lares também utilizarão energias renováveis e adotarão majoritariamente placas solares para completar o consumo diário.

Como novidade destaca-se os painéis inseridos discretamente entre as telhas das casas, que aproveitam mais horas solares, e outros camuflados para não romper a harmonia do entorno.

Foram apresentados, inclusive, painéis transparentes, idôneos para estufas que permitem absorver a energia sem obstaculizar a entrada do sol.

Enquanto isso, no interior das casas, o espaço é protegido com os melhores isolantes e pinturas que repelem o calor ou frio, e se adapta para permitir as tecnologias destinadas para melhorar a saúde dos inquilinos.

Assim, estas 'casas inteligentes' contarão com saunas dotadas de luzes LED de baixo consumo e painéis LCD com DVD, pensados para matar o tempo, e banheiras com sistemas de microbolhas, idôneas para peles sensíveis e para limpar não somente a superfície da pele, mas também a gordura e os folículos.

Outra das surpresas da feira é a cápsula de oxigênio para uso doméstico, como a da empresa KMC, de tamanho reduzido e capaz de criar um entorno com quase três vezes mais oxigênio do que em circunstâncias normais de altitude.

'É algo muito bom para a saúde e para curar lesões musculares e ósseas, ao permitir a redução pela metade dos processos de recuperação em alguns casos', detalhou a Agência Efe o responsável da companhia, Jitsuho Yoden, que também destacou suas propriedades para tratamentos antienvelhecimento, dietéticos, estéticos ou de relaxamento.

Nestas casas do futuro, os pregões e as paredes de madeira são resistentes à água e aos arranhões, e os móveis se reinventam para abrigar pequenas hortas ecológicas destinadas ao consumo diário de verduras e frutas.

Apesar de contar com todo tipo de adiantamentos tecnológicos, o design das casas no Japão manterá, segundo a Smart House 2013, seus elementos mais tradicionais: bambu, madeira e portas trilhos de papel, reforçados, isso sim, com os maiores avanços para prevenir terremotos, um fenômeno de relativa frequência no país. 

Fonte: Agência EFE