terça-feira, 25 de março de 2014

Conhecimento Técnico x Experiência Profissional

Conhecimento técnico trata-se de familiarização com teorias, experimentos,  técnicas, acumulo de ideias adquiridas.

Experiência profissional é a aplicação do  que se  aprendeu  e  adquiriu  conhecimento ao longo de sua carreira e possui habilidades  para solucionar certas situações  que, muitas vezes, a teoria não é capaz  de  prever. O profissional  experiente também deve estar atento as mudanças  e se  reciclar para acompanhar tais  mudanças,  caso  contrário,  toda sua experiência será  em  vão   por não se   aprimorar  às novas tecnologias.

Mas afinal, o  que   pesa   mais quando se busca uma  nova  colocação,  conhecimento ou experiência?

Uma pesquisa realizada pelo “empregos.com”, site  especializado em  recolocação  profissional,  relata que  a  maioria dos profissionais de RH analisam com  peso maior  o profissional  com maior conhecimento técnico. Já  nas  empresas,    a experiência pesa  bem mais.


No mundo corporativo,  profissionais que  aliam conhecimento técnico+ experiência, são muito disputados,  com  salários  elevados  os “seniores”  são valorizados principalmente  em  funções  especificas, nas quais  é  preciso  trabalhar para se  especializar, enquanto   na maioria das outras, é  preciso  se especializar para trabalhar.

A questão da  avaliação  do  perfil  profissional é  um tema tão polemico  que dificilmente reúne consenso, mas do  ponto de vista do  capital, tratando-se de produção, embora seja ideal  a  confluência, a experiência tem  um  peso  maior.

Outro  fator  que  pesa  contra  os  profissionais experientes, é o seu tempo de vida útil   para as  empresas.

Atualmente, um jovem se forma com aproximadamente 22/24 anos,  entra numa empresa como estagiário ou trainee, faz  uma pós-graduação em 2 ou 3 anos, e entra no  seu período de  maturação aos  28/29 anos, e segue nesse amadurecimento até por  volta  dos 50 anos, quando então terá  passado  por  vários  tipos de  funções e será  considerado   um  sênior.

Os  líderes, sobretudo nas áreas negociais, acham que ao   atingir  essa faixa etária,  o tempo de vida útil  dessas  pessoas,  passou e vão  em busca de profissionais  mais jovens.

Hoje, a expectativa de vida  do  brasileiro  está  chegando  aos   75 anos. Nos Estados Unidos, a expectativa  média chega aos  80 . No Japão, já passou dos  90 há  algum  tempo, e com  esse envelhecimento da  população,  a predominância de aposentados será insuportável.


No Japão, muitas empresas trazem de volta os aposentados  para  aturem como consultores, prolongando  sua vida útil.  Numa grande instituição financeira, um funcionário após passar por diferentes setores  e  assumir a  gerencia, quando atingiu a faixa dos  60 anos, foi  convidado a se  aposentar.

Passados três meses,  ele foi chamado  de volta e lhe pediram que  retornasse, porque  os clientes estavam  deixando a instituição.


O fato é  que a conformação  do que seja vida útil,  adaptabilidade,  experiência profissional, capacidade gerencial,  interesse e careira,  está mudando n a mesma razão em  que  mudada á  está o  perfil  etário da  população do planeta.

2 comentários:

  1. Achei interessante o assunto abordado, tenho uma certa idade, quero voltar a trabalhar, pois vejo as coisas melhores do que antes, como por exemplo, sei o que quero hoje, será que o mercado de trabalho vai me aceitar?

    ResponderExcluir
  2. Eu Gostaria de Saber eu vou prestar concurso público Municipal seia possível alguém falar pra mim sobre conhecimento Técnicos- Profissionais

    ResponderExcluir